ECO-PASSEIO | FLORESTA E BUÇAQUINHO

ECO PISTA DO ATLÂNTICO E PARQUE AMBIENTAL DO BUÇAQUINHO

O Pinhal de Ovar e a sua história «A sementeira ou planta ou plantação de várias espécies vegetais, para suster as areias que, impelidas pelo mar e pelo vento, avançam sobre as terras de cultura do concelho de Ovar, remonta ao período medieval. Todavia, só a partir da primeira década do século XVIII começaram os esforços para cercar Ovar, a norte e a poente, por uma grande mancha de pinhal, cuja exploração e manutenção ficou a cargo dos poderes públicos.

O pesado encargo de manter e vigiar uma tão grande área de pinhal provocou as mais diversas atitudes dos políticos locais, durante o séc. XIX, acabando largas áreas por serem vendidas ou aforadas pelo Município.
A actual mancha florestal é fruto de um trabalho iniciado em 1919, ano em que o então presidente da Câmara (Dr. Pedro Chaves) resolveu sujeitar todos os terrenos arenosos na posse da Câmara ao regime florestal.
O actual perímetro florestal de Ovar é um maciço de pinhal, cortado apenas por aceiros e arrifes, caminhos que permitem o combate aos fogos florestais. Funciona como um autentico pulmão do Concelho, recomendando-se algumas das suas zonas como áreas de recreio e lazer.»
(*1)
O Pinhal de Ovar é uma área espaço com uma biodiversidade riquíssima ao nível da fauna e da flora. Desta vez, é com enorme satisfação que os Amigos do Cáster convidam-no a um passeio de bicicleta pela “Eco Pista do Atlântico” e “Parque Ambiental do Buçaquinho” com o propósito de explorar a sua vida animal. Para melhor “viajarmos” pela fauna desta área teremos a companhia de alguns elementos da Unidade de Vida Selvagem da Universidade de Aveiro, entre os quais a investigadora Milene Matos.

A Unidade de Vida Selvagem, Dept. Biologia, Univ. Aveiro, integra investigadores especializados na gestão e conservação de recursos naturais, estando a trabalhar em vários locais em Portugal e no estrangeiro. Durante o último ano, uma equipa de biólogos investigadores efectuou um intenso trabalho de caracterização da fauna da região norte do concelho de Ovar, do Parque Ambiental do Buçaquinho ao Pinhal Litoral e às Dunas de Ovar, sem esquecer a Barrinha de Esmoriz e outros importantes habitats. As descobertas são surpreendentes mas demonstram a elevada diversidade biológica que vive na região. Nesta atividade serão discutidas as principais conclusões dos estudos efectuados, bem como apresentadas algumas medidas de conservação que se sugerem para preservar ou melhorar as condições locais para a vida selvagem.

Programa
Data: Sábado, 12 de Setembro de 2015
Local de Encontro: Biblioteca Municipal de Ovar
Hora de Encontro: 10h00
Hora de Retorno: 17h30 (hora prevista)
Deslocação: Ovar – Parque do Buçaquinho – Ovar (Bicicleta)

Notas sobre a biodiversidade ao longo percurso e em sala através de projecção multimédia (Parque Ambiental do Buçaquinho) facultada pela Unidade de Vida Selvagem da Universidade de Aveiro
Almoço será no Parque Ambiental do Buçaquinho

Condições
Cada participante trará o seu almoço e poderá partilhá-lo com os restantes intervenientes. O número máximo de participantes será de 35. Para participar deverá enviar para info@amigosdocaster.org, até quinta-feira, 10 de Setembro, os seguintes dados, i) nome completo, ii) endereço de correio electrónico, iii) número de telemóvel e iv) comprovativo de transferência bancária. O participante deverá garantir a bicicleta, porém, se não conseguir deverá dirigir o seu pedido à organização estando a sua disponibilidade pendente do número de bicicletas que o Município facultar. Participação, 1 euro para sócios e 3 euros para não sócios.
Aconselhamos o uso de roupa e calçados adequados, protector solar, água e binóculos.
Para mais informação, contacte, Carlos Ramos através do telemóvel, 964 205 415 ou consulte www.amigosdocaster.org

(*1) Panfleto produzido pelos AFIS – Atletas Fim de Semana, Amigos do Cáster e Câmara Municipal de Ovar.

Categoria EcoPasseio

CAMPANHA SOS NATUREZA

Coligação C6 apela à participação massiva dos cidadãos europeus para salvar a natureza e o ambiente da Europa
https://www.naturealert.eu/pt

A Comunidade Europeia tem um conjunto de leis que protegem a natureza. A Comissão Europeia liderada pelo Presidente Juncker, pretende enfraquecer estas leis.
Em Portugal, a Coligação de ONGs ambientais C6 que inclui a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), a Liga para a Protecção da Natureza (LPN), a QUERCUS, a WWF – Portugal, o GEOTA e o FAPAS, compõem um movimento composto por mais de 90 ONGs ambientais de toda a Europa, que pretende incentivar os cidadãos a expressar uma opinião clara em favor da conservação da natureza e contra a alteração das directivas Aves e Habitats.
Esta é uma campanha que pretende que os cidadãos portugueses se envolvam com os restantes cidadãos dos outros 27 países da União Europeia na defesa das leis que protegem a natureza na Europa, as directivas europeias Aves e Habitats.
Esta campanha foi lançada por toda a Europa, dado que a Comissão Europeia considerou importante levar a cabo uma avaliação profunda de às directivas Aves e Habitats para aferir da sua eficiência.
Tudo isto envolve-se de um ambiente agressivo à conservação da Natureza. Conhece-se a postura de ‘business-friendly’ e anti-preocupações ambientalistas do Presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Junker, desta forma «não se prevêem melhorias, mas sim uma flexibilização negativa».
Graças às leis que protegem a Natureza da Europa em Portugal já se salvou da extinção espécies simbólicas como a águia-imperial ou o lince ibérico, e assim, se prova e se reconhece a eficácia destas leis na protecção de animais, plantas e habitats ameaçados.
Os conservacionistas e os investigadores desta área há muito tempo que defendem o desenvolvimento sustentável, conceito que implica o desenvolvimento simultânea da economia e ambiente.
Para este processo de avaliação das directivas comunitárias Aves e Habitats, utiliza-se a justificação da modernização burocrática mas, o que realmente é pretendido pela Comissão Europeia é que a Natureza não interfira com o desenvolvimento económico, passando para segundo plano a sua defesa e estudo, «num claro retrocesso de mentalidades que espelha uma linha de pensamento muito limitada.»
Graças
As atuais directivas Aves e Habitats conferem à EU identidade no contexto global e são a razão por que a Europa, numa expressão de política orientada para enfrentar problemas futuros, tem agora a maior rede mundial de áreas protegidas, a Rede Natura 2000, que abrange cerca de um quinto da área terrestre e 4% das áreas marinhas europeias.
A participação no processo de consulta pública permite aos cidadãos participar e manifestar a sua opinião até 24 de Julho de 2015, e é a única oportunidade para o público expressar a sua vontade durante esta avaliação técnica.
Para a divulgação desta a campanha, não haverão muito mais possibilidades do que as redes sociais, e é seu objectivo primordial mobilizar o maior número possível de cidadãos europeus a manifestar-se contra eventuais alterações às leis que protegem a natureza e o ambiente.
Os Amigos do Cáster reforçam este pedido sugerindo-lhe que consulte a sítio de internet Nature Alert (https://www.naturealert.eu/pt) Campanha SOS Natureza, para aceder à informação sobre este tema e subscrever a Campanha SOS Natureza.

Categoria Campanha, Conservação da Natureza

MARCHA AZUL

8.ª Marcha pela Água promoveu as fontes de Ovar e sensibilizou para a necessidade de preservar os recursos naturais

O Ecoclube Júlio Dinis e a Associação Juvenil Amigos do Cáster dinamizaram, no passado dia 30 de Maio, a “VIII Marcha pela Água – Marcha Azul”.

Sob o lema “cada um é uma gota, juntos formamos corrente”, os cerca de 30 participantes nesta atividade percorreram as fontes de Ovar (Fonte Júlio Dinis, Fonte dos Combatentes, Fonte da Arruela, Fonte das Luzes, Fonte dos Pelames, Fonte da Mota e Fonte da Vila), com o objectivo de promover este importante património histórico e cultural da Cidade, bem como de sensibilizar para a necessidade de preservar a água enquanto bem escasso e indispensável à vida, de acordo com o preconizado na Declaração Universal dos Direitos da Água, lida durante a Marcha.
Durante o percurso foram, ainda, efectuadas actividades de geocaching em cada uma das fontes.

Assim, conscientes da obrigação moral do Homem para com as gerações presentes e futuras em proteger a água enquanto necessidade vital, os participantes na “VIII Marcha pela Água – Marcha Azul” contribuíram, simbolicamente, para a educação ambiental e para a sensibilização da população.

Categoria Marcha pela Água

MARCHA AZUL

VIII MARCHA PELA ÁGUA – “MARCHA AZUL”

No próximo dia 30 de Maio vai realizar-se a 8.ª edição da Marcha pela Água – “Marcha Azul” – dinamizada pelo Ecoclube Júlio Dinis e pela Associação Juvenil Amigos do Cáster. O percurso passa pelas 7 fontes da cidade de Ovar e pelo Rio Cáster. Assim, as duas fontes da Rua Alexandre Herculano – Fonte da Mota e Fonte da Vila, a Fonte dos Pelames, (agora incluídas no parque urbano da cidade) Luzes, Arruela, Combatentes e Júlio Dinis, são os pontos de paragem desta caminhada.
Convidamos a população de Ovar a participar nesta marcha que se vai efetuar seguindo um percurso na cidade, que passará pelas fontes e pelo Rio Cáster, partindo da Praça da República pelas 15 horas, sob o lema: “Cada um é uma gota, juntos formamos corrente”. Tal como nos últimos anos, haverá uma atividade, de carácter lúdico-cientifico associada a cada fonte, de Geocaching.

Categoria Marcha pela Água

“CICLOne” DE CONFERÊNCIAS

Na passada quinta-feira, 14 de Maio, no Auditório da Fábrica da Ciência realizou-se o debate dedicado ao tema “O capital social e as redes de cidadãos em torno da Ria de Aveiro” inserido na segunda edição do Ciclo de Debates “Quintas da Ria”, organizado pelo Grupo UARiadeAveiro coordenado pela Professora Teresa Fidélis.

Este debate contou com três oradores: Lauro Marques da ADERAV; Manuel Augusto Oliveira da AMIRIA-Associação dos Amigos da Ria e do Barco Moliceiro e Carlos Ramos da Associação Amigos do Cáster. Têm como característica comum, para além dos laços com a Ria de Aveiro, o facto de liderarem organizações cívicas e associativas com actividade regular na defesa e protecção deste ecossistema.

Quanto aos Amigos do Cáster, estes apresentaram os métodos e a dinâmica que utilizam para aproximar o tema ambiente à sua comunidade tendo feito a sua leitura sobre os atributos e os obstáculos que se apresentam ao movimento associativo popular, utilizando a sua experiência como ferramenta de demonstração.

Este foi um momento que muito nos honrou.

Categoria CICLOne de Conferências

ECO-PASSEIO | LINHA DO TUA

Eco-Passeio Linha do Tua

“Vamos Salvar o Tua” – foi o mote deste nosso Eco-Passeio à linha do Tua, com a colaboração da Plataforma Salvar o Tua.
Um grupo fantástico reuniu-se aos AdC para este dia pelo Tua. Na aldeia de Castanheiro fomos recebidos com a genuína simpatia da população local. Este é um “Dia de festa para Castanheiro”, diziam-nos enquanto nos davam as indicações necessárias para o início da nossa primeira etapa. Descemos até à linha – apeadeiro de Castanheiro, e aí deparámo-nos com uma paisagem magnífica. Um vale estreito ladeado por escarpas graníticas de invulgar beleza, cavado pelo rio que se aproxima da foz. Seguimos pela linha que acompanha o vale florido com perfume de alfazema. Passámos os túneis das Fragas Más, onde vivem populações de morcegos que se fizeram ouvir, e continuámos até o fim da linha sempre acompanhados pelo rio e por esta paisagem, certamente das mais bonitas do nosso país. A segunda etapa terminou no local onde a linha foi interrompida pelas obras da construção da futura barragem, que está a tapar com betão a paisagem que já não se consegue descrever… Chega a tristeza e indignação pela insensibilidade dos nossos políticos, daqueles que embora utilizem as palavras não sabem o seu significado: ecologia, sustentabilidade, preservação, património natural. Vamos Salvar o Tua – a foto da esperança!
3.ª etapa -subida atá á aldeia de Fiolhal. O calor que se fez sentir acentuou o cansaço. Chegámos à aldeia e mais uma vez a simpatia dos locais. Neste local os Amigos do Cáster tornaram-se associados da “Plataforma Salvar o Tua” através da assinatura da ficha de associado desta plataforma. Finalmente, fizemos o nosso almoço repartido, num salutar convívio entre este grupo de amigos que prometeram voltar.
Da próxima vez, talvez a frase possa ser “O Tua foi Salvo”.

Mais fotografias no Facebook: Amigos do Cáster

Categoria EcoPasseio

6º ECO-PASSEIO | RIA DE AVEIRO

6º Eco Passeio Ria de Aveiro – Canais e Esteiros de Ovar e Pardilhó
No passado dia 26 de Abril, a Associação dos Amigos do Cáster, em colaboração com a Centro Náutico da Ria de Ovar, organizou uma saída de grupo, que posteriormente se dividiu em dois momentos: um passeio de barco pelos canais da Ria de Aveiro, junto à Foz do Rio Cáster, tendo sido privilegiados a observação e levantamento das espécies de aves no local, seguido, durante a tarde, de um pique-nique que juntou os participantes na zona periférica ao centro da actividade. Registam-se um forte sentido de união e proactividade em todos os participantes, bem como uma cooperação saudável na monitorização dos parâmetros anteriormente referidos.
Saudações a todos os participantes!

Facebook: Amigos do Cáster

Categoria EcoPasseio

ECO-PASSEIO | LINHA DO TUA

Eco-Passeio: Linha do Tua
Data: sábado, 9 de Maio
Hora de Partida: 08h00
Local: Parque de Estacionamento Sr.ª da Graça (Rua Arquitecto Januário Godinho – Referências Biblioteca Municipal de Ovar e Centro de Arte de Ovar)
Aconselhamos o uso de roupa e calçados adequados, protetor solar, água e binóculos.

No seguimento da construção da barragem do Tua envolta de polémica e dada (…) «a oposição dos partidos Bloco de Esquerda e os Verdes, tendo os Verdes feito denúncias à UNESCO alegando pôr em causa a classificação da UNESCO do Douro Vinhateiro como património da humanidade» (…) e pelo facto da (…) «Quercus também ter efetuado denúncias à UNESCO, alegando que o “imenso estaleiro” em que se transformou aquela região classificada do Alto Douro Vinhateiro e que a sua construção representaria um “verdadeiro atentado a um património ambiental e cultural insubstituível”» (…), os Amigos do Cáster acharam por bem organizar um eco passeio que tem como objectivo percorrer zonas do rio Tua que a médio prazo ficarão submersas aquando da operacionalização da barragem Tua. (Texto adaptado Wikipedia)

A linha do Tua é uma infraestrutura ferroviária, cavada nas rochas escarpadas do rio Tua. Construção iniciada no final do Séc. XIX; no seu auge ligou a estação de Tua a Bragança, num total de 144km. Hoje, desativada, resta-nos percorre-la a pé e apreciar a beleza da paisagem que ela nos proporciona ver.

Percurso pedestre: Castanheiro – Foz do Tua
Extensão: cerca de 5 km (percurso pela linha do Tua)
1.ª etapa: Localidade de Castanheiro Norte – estação de Castanheiro; etapa rápida por um percurso inclinado até à estação de Castanheiro (fácil).
2.ª etapa: estação de Castanheiro – Foz do Tua (3Km antes) localidade de Fiolhal; percurso com cerca de 5km que separam a estação de Castanheiro de Fiolhal. Este percurso pela linha passa pela zona dos túneis das Fragas Más, do viaduto, com uma paisagem de rara beleza, onde a linha acompanha o vale estreito e profundo que nesta altura do ano se encontrará verdejante e florido.
Dificuldade: média; os túneis fazem-se bem sem lanterna. Também não há pontes altas, mas depende da sensibilidade. O local mais assustador seria ao quilómetro 1,4 (viaduto das Presas), mas é onde não se pode passar. O maior perigo é o de caminhar sobre a gravilha, que pode maçar os pés ou causar alguma entorse. Atenção que as travessas molhadas tornam-se muito escorregadias. Deve levar-se calçado adequado, com sola de borracha.
O almoço poderá ser feito perto da estação de Tralhariz, ou então no final do percurso pela linha (de acordo com a opção dos participantes).
3.ª etapa: final da linha (3Km antes da Foz) até à localidade de Fiolhal.

Este troço está incluído nos primeiros 16 km da linha que vão ficar submersos após a construção da barragem e por isso maior interesse em percorrer estes quilómetros da linha.

Condições:
O valor da inscrição é fixo, 8 Euros para sócios dos Amigos do Cáster e 10 Euros para não sócios.
O pagamento deve ser efectuado no acto de inscrição, ou seja, anexando o talão de transferência multibanco ao email que expressa interesse em participar. Para a transferência bancária sirva-se do NIB 0010 0000 2505 5800 0015 6 (Associação Juvenil Amigos do Cáster).
Caso ocorra desistência a menos 48 horas do início da actividade o participante deverá assumir a responsabilidade da sua inscrição pagando a sua inscrição na totalidade.
Cada participante trará o seu piquenique/almoço e poderá partilhá-lo com os restantes participantes. O número máximo de participantes será de 25. Para participar deverá enviar para info@amigosdocaster.org, até quinta-feira, 07 de Maio, os seguintes dados, i) nome completo, ii) endereço de correio-e, iii) número de telemóvel, iv) data de nascimento e v) número de bilhete de identidade. Para mais informação, contacte, Carlos Ramos através do telemóvel, 964205415.

Categoria EcoPasseio

6º ECO-PASSEIO | RIA DE AVEIRO

6º Eco Passeio Ria de Aveiro – Canais e Esteiros de Ovar e Pardilhó

Dia 26 de Abril , vai ser realizado o “6º Eco Passeio Ria de Aveiro – Canais e Esteiros de Ovar e Pardilhó”, atividade organizada pela colaboração entre as associações “CENARIO”, Centro Náutico Ria de Ovar e os Amigos do Cáster com vista a promover o património natural e as atividades náuticas do concelho de Ovar, assim como, sublinhar a energia e o valor que o movimento associativo popular pode conferir às comunidades locais.

Esta atividade está organizada da seguinte forma:

09H30: Receção dos participantes na sede da CENÁRIO no Cais do Puxadouro, Válega, Ovar;
10H00: Passeio de Barco pela, Ribeira da Aldeia, Mourão e Gago;
12H30: Chegada e almoço (piquenique);
14H00: Trabalhos manuais- Conceção e fabrico de utensílios domésticos de madeira;
17H00: Fim das atividades

O valor da inscrição é fixo, 5 Euros para sócios de qualquer das associações e 7 Euros para não sócios. O pagamento poderá ser efectuado no próprio dia ou ainda através de transferência multibanco para o nib 0010 0000 2505 5800 0015 6 (Associação Juvenil Amigos do Cáster) e respectiva apresentação de comprovativo no dia do evento.
Cada participante trará o seu piquenique/almoço e poderá partilhá-lo com os restantes participantes. O número máximo de participantes será de 30. Para participar deverá enviar para info@amigosdocaster.org com os seguintes dados, i) nome completo, ii) endereço de correio-e, iii) número de telemóvel. Para mais informação, contacte, Carlos Ramos através do telemóvel, 964 205 415.

Participe!

Fotografias de Ricardo Teixeira e Duarte Regalado respectivamente.

Categoria EcoPasseio

COASTWATCH 2015

“Coastwatch: 25 anos a olhar pelo Litoral” foi o tema escolhido para a 25ª campanha deste projeto de educação ambiental que, anualmente, junta milhares de voluntários por toda a Europa. No concelho de Ovar esta campanha é coordenada pela CMO e dinamizada pela Associação Amigos do Cáster com a colaboração do Ecoclube Júlio Dinis. Foi no passado dia 22 de março que decorreu esta atividade, juntando mais de 50 participantes que colaboraram na monitorização do troço costeiro entre as praias do Furadouro e do Torrão do Lameiro. Avaliar o estado em que se encontra este troço do litoral, através da observação dos parâmetros: poluição do areal, da água, erosão costeira, pressão urbanística e principais espécies de fauna e flora presentes, é a principal missão desta campanha. É desta forma que o Coastwatch, promove a cidadania ativa, alertando para a responsabilidade de todos em participar, de forma ativa e continuada, no desenvolvimento sustentável de uma parte muito importante do nosso território – o Litoral. No entanto, para além desta missão, também houve espaço para um salutar.

Categoria Coastwatch